Fevereiro 24 2009

O texto que se segue foi escrito nos recantos da intimidade de uma mulher de 49 anos que sempre trabalhou a vida inteira e sempre soube o sabor amargo da vida laboral. É um texto que agora publico aqui, no meu blog, porque par'além de me identificar com ele, está também muito simples e bem tradutor de todas as injustiças. Adoro-te mãe.

 

"

É o que ouvimos hoje por todo o lado. Desde bem nova que também ouvia falar:
 
-“Isto é que vai uma crise!”
 
Agora é diferente. Acho que ela chegou em força. O Mundo rendeu-se a essa doença contragiosa que mina tudo e todos… quero dizer… quase todos!
A confusão começa a instalar-se com os desempregos! Atrás disso arrasta-se o que há de pior. A falta desse bem odioso, necessário, poderoso e destrutivo! O dinheiro!
As pessoas limitam-se ás ajudas possíveis, governamentais algumas… e caridadezinhas que começam a surgir por todo o lado. E o povo obriga-se a tudo isto porque a necessidade assim se impõem. Mas sofrem! Sofrem na Alma! A mágoa de ter que recorrer a tudo isto e ver que há sempre quem consiga viver aparte de tudo o que se está a passar! Continuam a conduzir os seus “topos de gama” e a comer nos restaurantes mais caros; a educar os filhos nos melhores colégios e escolas. Depois, claro, de terem fechado os portões das fábricas e darem tudo como falido. É A CRISE! Arremessos de políticas que os Homens não são capazes de dominar porque dominados estão já eles próprios por completo. Enlouquecidos pelo autoritarismo e pelo poder, geram finalmenteaquilo a que chamam de “recessão económica”. É sem duvida uma frase bem mais agradável do que dizer: “Chegou a Miséria”. E pedem dos altos palanques:
 
- “Aguentem aí, vamos tentar melhorar isto. Temos planos para resolver este problema, só pedimos mais um pequeno esforço.”
 
Que esforço amigos? Fartos e cansados de esforço estamos nós ao longo de toda a vida e vem agora estes “badamerdas” com uma lata dos diabos pedir ao povo mais esforço. Não perdi a fé nem a esperança de que um dia o povo seja realmente “quem mais ordena” e mande quem agora os manda… “fazer mais um pequeno esforço”.
publicado por Simao_psi às 15:53

As manipulações políticas, as aldrabices cobertas de discursos vitimizantes e de surpresa como que vindo de pessoas que caminham com passinhos de candura sobre rochas incertas (sabendo todos nós da hipocrisia que sustenta este monólogo), os discursos circulares e/ou escapatórios que tentam dar a atender que estão a justificar da forma mais séria e honesta e respondendo verdadeiramente à problemática inserida, ... Enfim, são estas as vozes que temos de aturar, num ruído de fundo repetitivo de alguns lambe botas que repetem "muuiito bem! muiiito bem!", e aceitar como a voz da realidade, a voz de quem tudo faz para o bem de Portugal! Eu só tenho 25 anos, mas também já estou cansado e sinto uma revolta enorme destes seres asininos, e uma frustração por nada poder fazer pelas pessoas que com muitos anos mais anos de experiência que eu não conseguem aceitar estes discursos, nem conseguem assumir uma posição na sociedade, muito por falta do sentido colectivo, do espírito revolucionário que a história de Portugal por vezes relata como característica do "portuga" e também pela amputação sócio-política dos "reis de Portugal".
Infelizmente, para além dos políticos (ou em simultâneo ou em dupla função) temos os admnistradores, gestores e empresários que só pensam nos lucros, no dinheiro para o seu bolso, jogando na lama centenas ou milhares de trabalhadores, sem se importarem com as consequências... aliás, há boas consequências: as indemnizações que ainda recebem (os patrões)! Coitados, tanto esforço têm de ser compensados e de preferência com milhões! É um mundo do avesso, para alguns, claro!
Mas o mais ridículo é pediram "mais esforço" para os outros, claro! Como se ter que pagar impostos, água, luz, escola dos filhos, alimentação, vestuário, (...) ter que entrar cedo e deitar tarde, arrumar a casa, pagar a prestação da casa, do carro, etc. não fosse o suficiente! Afinal, quem é que não se esforça?

Enquanto esses moralistas hipócritas apenas se preocupam com a crise dos 40 e dos 50, em que nasce uma ruga ou cresce uma barriguinha... (embora uns tempinhos num SPA possa ajudar a ultrapassar a crise ou mesmo uma plástica)... os outros, um tal de povo, têm de passar por todas as crises (económica, financeira, social, dos 20, dos 30, dos 40, ...), estes sim são os homens e mulheres que devem receber a medalha do não sei quantas por valentia, dignidade, exemplo, blá, blá. Contudo, as medalhas que recebem realmente são as pisaduras dos chutos no grande glúteo que levam todos os dias.

Mas o que mais agrada neste texto é a FORÇA que revela! Enquanto os "maiores" desistem quando o barco está a afundar, as pessoas que verdadeiramente sofrem na pele dizem:
"Não perdi a fé nem a esperança de que um dia o povo seja realmente “quem mais ordena” e mande quem agora os manda… “fazer mais um pequeno esforço”.
É isto a força do povo, a persistência, a fé, a esperança,... e um dia lá estaremos a defender aqueles que acreditam em nós!!!!!



TSB
TSB a 26 de Fevereiro de 2009 às 23:55

Olá Simão!
Foi com surpresa e por mero acaso que apenas agora encontrei este seu blog... mas uma agradável surpresa! Deve estar a tentar lembrar-se quem serei eu... sou apenas a técnica erasmus que vi partir mais um aluno aventureiro, mas certo das suas opções... lembra-se?
Devo confessar que dos posts que aqui li, gostei de bastantes... gostei especialmente do seu inconformismo...aqui bastante evidente numa certa "revolta contida" em relação ao sistema... mas também o seu lado mais "sentimental"!
Revi-me em alguns dos seus textos... no tempo em que ainda jovem... também eu cedo desenvolvi as minhas ideias bastante críticas em relação a muitas questões da sociedade da época, e que afinal, bem vistas as coisas, se mantêm.
Ainda que em linhas de pensamento político diferentes, filiei-me num grupo partidário ainda adolescente... as nossas reflexões coincidem nos aspectos essenciais. Também eu era uma jovem "inconformada" e bastante atenta às questões sociais e às decisões tomadas pelos nossos governantes (ainda o tento ser, mas a desilusão foi-se instalando).
Queria em especial dizer-lhe que também eu detesto ser mais uma "ovelha" neste sistema, que apenas se limita a ouvir, obedecer e nada fazer!
Gosto de jovens que se preocupam com as políticas praticadas no país que ainda é a sua pátria... precisamos de mais jovens críticos e activos, sejam de que partido político forem... o importante é que ao debaterem as suas ideias não tenham medo de o fazer e que possam mudar algo... ainda que pouco, sempre é melhor que simplesmente calar.
Parabéns Simão pelos excelentes textos que escreveu e continue assim atento e crítico!
Emília Martins
Emília Martins a 30 de Julho de 2009 às 22:55

Muito Obrigado pelo elogio ao meu blog, principalmente numa altura em que estive um pouco parado dos assuntos da blogosfera. No entanto, espero surgir agora em força. Estive a ver se me lembrava de quem era mas não tenho ideia de quem seja... Peço desculpa, talvez seja uma pessoa mais familiar do que julgo mas não estou mesmo a ver. Espero que continue a visitar o meu blogue. Vai ver que vai encontrar muitos textos "acutilantes" do ponto de vista político ;)

Cumprimentos

Atentamente,
Simão Ferreira.

Olá Simão,

Pois é... já foi há bastante tempo que fez um periodo Erasmus, não foi??? Não se
preocupe por não se lembrar, eu também sou terrível para "fixar" nomes, mas penso
que agora ao ver este email será mais fácil identificar, pelo menos onde trabalho!

Vou estando atenta às "suas intervenções" através do blog, sempre que possível.
Boas férias!
Emília Martins
……………………………………………………….………………………
Emília Oliveira Martins
Serviço de Projectos e Apoio à Mobilidade - FPCEUP
Email: emartins@fpce.up.pt
Emília Martins a 6 de Agosto de 2009 às 23:42

Existe mesmo uma confusão. Penso que se estará a referir ao Simão de psicologia clínica que fez erasmus em Itália. Eu sou outro raro "Simão" na FPCEUP. Passei só agora para o 5º ano e sou da área da Comportamento Desviante e Justiça. Mas agradeço na mesma (claro está!) o seu elogio ao meu blog particularmente vindo de alguém ligado à Faculdade de Psicologia (e de ciências da educação vá :P) da Universidade do Porto. Penso que a faculdade (quer os alunos quer o pessoal administrativo e académico) está muito imbuida numa burocracia que a afunda, esquecendo-se que a reflexão é sempre uma postura de emancipação face aos problemas da Vida. Certamente que a Emília será um daqueles elementos com postura crítica e emancipadora. Mas é muito díficil ser-se uma ovelha que a dado momento levantou a voz para se exaltar com a passividade do seu rebanho.

Continue a visitar o meu blog e comente os posts que vou colocando. Se me quiser sugerir alguns blogs "interessantes" não hesite em dizer-me. Estar-lhe-ei grato.

Cumprimentos do Simão (só agora finalista de Psicologia do Comportamento Desviante :P)
Simao_psi a 7 de Agosto de 2009 às 19:29

mais sobre mim
Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
25
26
27
28


pesquisar
 
blogs SAPO