Setembro 14 2007

  

 

 

 

    Todos os caminhos vão dar a ti. Por mais que tente negar o que sinto, o que paira na minha alma, o que tenho para te dizer e não consigo, sinto um enorme buraco na minha vida, uma espécie de peça que falta no puzzle da minha existência, algo que me faz sentir incompleto face a tudo o que faço e penso.

     Solidão. Talvez Solidão. Um rodear de gente perante mim, só amigos, só alegria, só festas, só cafés tomados na esplanada do café onde costumo ir, mas sem ti... sem dúvida, uma enrome solidão.

     Tenho vontade de saír deste lugar onde escrevo, saír deste lugar desesperante onde a luz tremúla de vez em quando e onde só ouço o barulho do ponteiro dos segundos (de longe a longe o dos minutos também) do meu relógio. Até a caneta com que escrevo isto me leva a ti. Lembro-me perfeitamente quando pegas-te nela, quando me pediste emprestada porque te tinhas esquecido da tua:

 

      - Simão, emprestas-me a tua caneta?

 

     Quando de facto o que eu queria era emprestar-te algo mais. Emprestar-te não, dar-te. Dar-te para sempre. Entregar-me a ti. Ser eu a caneta em que escrevias naquele momento.

      Não imaginas quantas vezes eu cheirei e quantas vezes eu passei os meus lábios pela "carapuça" da caneta, na esperança de que tu tenhas o mesmo vício que eu de roer as tampas.  

      O teu prefume inunda o meu carro mal entras nele. Não saí de lá... insiste em ficar por lá. Insiste em lembrar-me que existes (como se eu já não soubesse, caramba!), a lembrar-me da tua cara, dos teus cabelos ondulados que te caiem ao de leve nos ombros (cortas-te ligeiramente o cabelo não cortas-te?), dos teus lindos olhos quando olhas para mim (os teus olhos falam, sabias?), da tua boca sensual, uma espécie de íman dos meus olhos.

      Tenho vontade de saír daqui. Ir direitinho a tua casa, pegar em ti e beijar-te, fazer as coisas como deviam de ser feitas logo quando te conheci (as coisas devem ser feitas no momento exacto. Quando não são já pode ser tarde demais... será que é isso que se passa connosco?).

      O Amor (será amor isto que eu sinto?) é algo muito complicado. Impossível definir o amor. Toda a definição nesse sentido é inútil. Amor não se define, sente-se.

      Gosto muito de ti. Gosto mesmo de ti. Nunca ninguém permaneceu mais tempo em mim do que tu... e, por isso, todo este sentimento me faz uma enorme confusão. Há coisas que pura e simplesmente temos medo de falar. Os nossos sentimentos transfromam-se em autênticos monstros dentro de nós, lutam, agridem-se. Por vezes ouço cães a ladrarem-me aos ouvidos. Cada cão a tentar argumentar algo que vai contra o que o outro postula. Possíveis pensamentos que guerreiam entre si. De vez em quando um ganha uma batalha e resulta nisto: uma coisa escrita de coração aberto... tudo isto porque gosto de ti, porque nunca te disse a palavra mágica devido ao facto de te adorar (uma contradição impressionante!) e porque, acima de tudo e apesar de todas as coisas... quanto maior o sentimento, menor é a acção.

publicado por Simao_psi às 15:03

txiiiiiiiiii afinal nao sou só eu! loooool vamos criar uma associaçao intitulada "Os incompreendidos Anónimos" (OIA).
Amigo, a culpa nao é nossa aliás ng tem culpa de termos sistema limbico! lol
Agora mais a serio, eu cada vez mais admiro o Espinosa (ja aqui deixei uma citaçao dele) mas a minha preferida é "o amor é uma invençao nas nossas cabeças, imaginaçao que nos leva a um estado de de alegria!" mas porra eu agora mando o Espinosa ir dar uma volta e pergunto o Espinosa era era homossexual de certeza! ou será mesmo imaginaçao nas nossas cabeças? quer dizer eu nunca imaginei nada para gostar de alguem loool ou melhor se calhar ate imaginei e o defeito foi esse!
Voltando ao cerne da questao, tas a ser perseguido por ela de certeza!! ate imaginas coisas na caneta em que ela toca! tas lindo lol
Mas o mundo avança e a vida nao pará e tu vais continuar a ouvir o ponteiro dos segundos do teu relogio e o que nao falta para aí é mulherio (eu sei que nao é a mesma coisa, aliás nunca poderá ser!!) mas isto é o que se diz sempre! lol
Só mais uma coisa tu ouves caes a ladrar aos ouvidos? lol se calhar é o teu Freud a acordar-te nao? loooool
anonimo das emoçoes a 14 de Setembro de 2007 às 17:11

"Amor não se define, sente-se." Aí é que está! Foi das belas frases de amor que já ouvi...

Um conselho amigo: esquece as palavras e parte para a acção! É preferivel quebrares a cara do que viveres um amor impossível para o resto da vida! É bom sonhar, é bom criar ilusões e fantasias... é digno do nosso signo ;) Mas não te deixes levar pelos sonhos, luta para que eles se realizem... AVANÇA!

Abraço
JPA a 16 de Setembro de 2007 às 12:35

dizem que mais vale amar e perder, do que nunca ter amado...será que podemos amar mais do que uma vez na vida, ou existirá realmente a "tal" pessoa para nós?passei anos a pensar que tinha encontrado o amor da minha vida, mas a minha cabeça rodopia num turbilhão de dúvidas...será que realmente amo esse alguém ou "amei" o hábito?não sei, talvez nunca chegue a saber, só sei que acabou!o que sei é que as palavras que li me tocaram profundamente o coração e a alma, e que quase sinto ciúmes da destinatária deste discurso, porque durante anos sonhei ouvi-lo!E continuo a sonhar que um dia alguém tenha sentimentos tão fortes por mim, e me possa dizer ou escrever palavras tão belas como estas...
deep soul a 26 de Janeiro de 2008 às 00:03

mais sobre mim
Setembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
15

17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
28
29



pesquisar
 
blogs SAPO